“PER ANKH”

Publicado a 19 de julho de 2014 por Marques 

As Casas da Vida no Egito antigo chamavam-se “per ankh” e funcionavam no interior dos templos em geral, mas seus sacerdotes e sacerdotisas também realizavam trabalhos de cura fora desses ambientes, uma vez que, muitas vezes, saíam vestidos com as vestes comuns do povo pobre e iam ao encontro dos necessitados de tratamento.

Com a chegada dos primeiros cristãos ao Egito, no primeiro século da era cristã, esses trabalhos começaram a ser reduzidos, uma vez que aqueles cristãos entendiam, no seu geral, que aquela religiosidade era pagã e que deveria ser inviabilizada.

Na verdade, tratavam-se de missionários do próprio Jesus, o qual, por sinal, nunca instituiu o que veio a se denominar Cristianismo, pois ensinou a Verdade, que é cósmica, e não fundou nenhuma corrente religiosa.

As Casas da Vida, tendo vindo, como ideário filosófico, de outros mundos mais evoluídos que a Terra, sempre pautaram sua atuação pela obediência, na Terra, a Jesus, que é seu Divino Governador.

É preciso que se digam estas verdades, porque o facciosismo de muitos cristãos tem prejudicado a evolução da Terra, haja vista a ocorrência de muitas guerras patrocinadas pelos cristãos, como foi o caso das Cruzadas, sem contar a rivalidade entre católicos e protestantes dentro do seio do próprio Cristianismo.

Religião e Filosofia não devem ser facciosas, pois o Amor, que ambas pregam, deve ser universal, no sentido mais amplo da palavra, abrangendo todas as criaturas do Universo.

Um outro ponto que temos que abordar, para compreensão dos prezados leitores, é que as Casas da Vida valorizam os seres sub-humanos (animais, vegetais e minerais), considerando-os tão importantes quanto os humanos, pois não há diferença essencial entre uns e outros, sem contar que a necessidade de interação permanente entre todos é regra básica do Amor Universal, além de representar requisito essencial para a própria saúde.

Os prezados leitores poderão verificar, ao tomarem conhecimento mais aprofundado do que são as Casas da Vida, que elas obedecem a padrões cósmicos e, portanto, estão dentro da Verdade a que Jesus se referiu.

Os mestres verdadeiros de todas as correntes religiosas e filosóficas são respeitados por nós, pois não há separatismos entre os adeptos da Verdade.

 

Este artigo foi arquivado em Sem categoria

Deixe o seu Comentário